Para além da escovação no controle do biofilme

Publicado por Equipe LISTERINE®

Embora essenciais, a escova e o fio dental não alcançam alguns locais em que as bactérias crescem, mas com o uso do antisséptico como aliado, podemos alcançar até 100% da cavidade bucal e ter uma boca limpa de verdade.1

Conhecido na área odontológica como “inimigo invisível” , os biofilmes bacterianos são comunidades complexas e estruturadas de células aderidas a uma superfície e embebidas por uma matriz extracelular de polissacarídeos.2,3

Produzidas pelos próprios microrganismos, essas substâncias poliméricas têm a finalidade de aumentar a sua chance de sobrevivência em um determinado meio. São também denominadas slime.2

Atualmente, já se reconhece a multiplicidade de situações em que os biofilmes ocorrem. Em camadas de solos e ambientes aquáticos, surgem naturalmente. Já nos ambientes urbanos, podem estar presentes em sistema de tubulações de água e esgoto, reservatórios de água e edificações. Basicamente, a presença de biofilmes pode ocorrer em qualquer ambiente que combine a presença de líquido + superfície + microrganismos, o que torna a boca um local propício para sua formação.2

Como eles se formam muito rapidamente, é importante manter uma rotina de saúde bucal capaz de atacá-los por todos os ângulos.1 São necessários apenas alguns minutos após a escovação para que o biofilme inicie sua duplicação, a cada uma/duas horas, nos estágios iniciais. Em poucos dias, as bactérias formam uma colônia 3D tão complexa que pode conter mais de 25 espécies distintas.1

Na imagem à esquerda, o biofilme começa a aparecer em minutos. À direita, os microrganismos
formaram uma colônia complexa em poucos dias.1

Maus hábitos

Uma revisão sistemática publicada em 2018 demonstrou que a prevalência de halitose pode chegar a 32% da população. Especialistas apontam a falta de cuidados na higiene bucal como a principal causa da halitose ou hálito fétido.4

Os maus hábitos de higiene podem comprometer a saúde bucal dos pacientes e, sem a rotina de higiene bucal adequada, o controle do biofilme torna-se difícil de se conseguir somente com a escovação e o uso de fio dental, devido à sua rápida formação.¹

Com uma fórmula desenvolvida para combater as bactérias dos tecidos bucais, LISTERINE® elimina até 99,9% dos germes que causam biofilme, gengivite e mau hálito, devido à sua capacidade de atingir diferentes regiões da cavidade bucal e penetrar profundamente no biofilme.¹*

Prática correta da higiene bucal

O uso de LISTERINE® duas vezes ao dia, somado à escovação correta e ao uso de fio dental, proporciona uma higienização bem mais completa. Com uma rotina simples, é possível se adequar ao uso correto do antisséptico bucal, bem como das demais práticas de higiene.5

Com 20 ml (ou 4 colheres de chá) do antisséptico em um copo, sem diluir em água, o bochecho deve ser feito por 30 segundos, podendo o tempo ser contado mentalmente ou com um cronômetro. LISTERINE® oferece um portfólio completo para diferentes indicações e refrescâncias de acordo com a preferência do paciente.5

Quando adicionado à escovação e ao uso de fio dental, LISTERINE® ajuda a reduzir germes que causam placa, gengivite e mau hálito.

ESCOVAÇÃO/FIO DENTAL X ENXÁGUE

Referências:
1. Go Beyond Brushing. An oral care routine of brushing, flossing, and rinsing can help you and your patients reach a goal of 100% WHOLE MOUTH CLEAN [Internet]. Disponível em https:// www.listerineprofessional.com/products/oral-care-routine/go-beyond-brushing. Acesso em 4 novembro 2021.
2. Stoodley P, Sauer K, Davies DG, Costerton JW. Biofilms as Complex Differentiated Communities [Internet]. Vol. 56, Annual Review of Microbiology. Annual Reviews; 2002. p. 187–209. Disponível em http://dx.doi.org/10.1146/annurev.micro.56.012302.160705. Acesso em 4 novembro 2021.
3. Biofilme: O inimigo invisível. Maria Clara Padoveze, Professora Doutora do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. [Internet]. Disponível em http://nascecme.com.br/biofilme-o-inimigo-invisivel/. Acesso em 4 novembro 2021.
4. Silva MF, Leite FRM, Ferreira LB, Pola NM, Scannapieco FA, Demarco FF, et al. Estimated prevalence of halitosis: a systematic review and meta-regression analysis [Internet]. Vol. 22, Clinical Oral Investigations. Springer Science and Business Media LLC; 2017. p. 47–55. Disponível em http://dx.doi.org/10.1007/s00784-017-2164-5. Acesso em 4 novembro 2021.
5. L© Johnson & Johnson Limitada 2019. Listerine. Como bochechar. [Internet]. Disponível em https://www.listerine.pt/limpeza-bucal/como-bochechar. Acesso em 3 novembro 2021. Acesso em 4 novembro 2021.
6. Kerr WJS, Kelly J, Geddes DAM. The areas of various surfaces in the human mouth from nine years to adulthood. J Dent Res. 1991;70:1528-1530. [Internet]. Disponível em https:// journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/00220345910700121001 . Acesso em 1 dezembro 2021. 

Outros assuntos